Nem sempre começamos pelo começo. É isso que eu posso dizer da Preta Brasil. Sobre a não-linearidade que é a vida

A inspiração inicial para criar a marca que viria a trabalhar com roupas foi da natureza. Chapada Diamantina para ser mais exata. Durante anos criei muitos colares e adornos de madeiras das árvores caídas, no desejo de reverenciar minhas raízes africanas, indígenas e meus ancestrais. As peças foram uma maneira de me expressar e ao mesmo tempo valorizar minha cultura.

Com o tempo, uma inquietação adormecida ganhava cada vez mais eco em mim. Por que não poderíamos vestir conforto? Por que não poderíamos ter essa liberdade de expressão?

A ideia de que, nós mulheres, fomos influenciadas e condicionadas a usar roupas desconfortáveis em nome de um padrão vigente na sociedade me incomodava. E me dei conta de que eu não estava sozinha. Assim a Preta Brasil (re)nasceu, se transformando naquilo que sempre foi. Nos dedicamos a criar peças amplas, com a leveza de poder vestir cada curva, cada corpo, sem padrões. Roupas feitas para mulheres reais, ou seja, todas as mulheres. Transformamos a viscose e o linho em elegância, conforto e versatilidade. As estampas e os grafismos, cuidadosamente selecionados, traduzem a alegria e o tropicalismo da nossa cidade e do nosso povo. Essa é a nossa essência.

Somos uma pequena empresa feminina, e nosso time é composto por costureiras, modelistas, passadeiras e marketing que desenha, costura, corta, passa, etiqueta, fotografa e divulga as roupas que chegam até você de forma afetuosa e comprometida. Juntas formamos uma equipe que ama o que faz e que trabalha todo dia para que chegue até você um pouco do que acreditamos. Nos realizamos todos os dias em cada sorriso de gratidão estampado nos rostos dessas mulheres.

Estamos sempre procurando novas maneiras de reduzir o impacto da nossa produção e logística, bem como apoiar a nossa comunidade local e com isso contribuir para a sustentabilidade socioambiental

A Preta Brasil é potente e deseja incentivar as mulheres a cada dia amarem a liberdade de ser quem se é.

 

A veia empreendedora sempre pulsou forte no meu corpo! Desde os 15 anos criava formas de ganhar meu próprio dinheiro, mas a caçula de uma família de funcionários públicos, foi influenciada a entrar na economia tradicional onde tive a compreensão de que ali, no Polo Petroquímico de Camaçari não era o meu lugar! Meu lugar é o mundo, conhecendo pessoas, trocando experiência e expressando minha criatividade.

Dos muitos desafios, alguns foram significativos para o surgimento da Preta Brasil. Minha primeira maternidade. Gabriel me tornou mãe. Aprendizados, construção, mudanças, o tempo passou… Engravidei novamente. Perdi minha Dandara. Uma profusão de sentimentos que se transformou no ponto da virada quando numa viagem não encontrava uma peça de roupa que acolhesse meu corpo com as curvas e lembranças do pós-parto.

Assim a Preta Brasil (re) nasceu. E não nasceu só. Escutava muitas mulheres que se sentiam contidas em roupas que não lhes representavam e se sentiam, assim como eu, com a autoestima fragilizada e inseguras.

A inquietação em mim foi tomada pelo desejo em ajudar essas, e tantas outras mulheres, a sentirem mais seguras com suas curvas, mais poderosas, confiantes, elegantes e, sobretudo, mais felizes e realizadas através de peças que valorizassem seus corpos, exatamente como eles são.

Nesse caminho, conheci muitas pessoas que me inspiraram, muitas histórias aconteceram. Fui construindo laços, trocando experiências dia após dia. Hoje me dou conta como a Preta Brasil é mais que uma empresa pra mim. A Preta Brasil é justamente sobre as histórias que poderemos contar.